sexta-feira, janeiro 11, 2008

Somos Dois

não consigo conter as lágrimas
dizes-me tu por palavras,
eu não vejo esse choro compulsivo
no cair do mundo, quando estou contigo.

como um Fado cantado por mulheres,
choras sempre onde quiseres
só não choras quando estás comigo.

raramente somos nós
neste tremor que nos sustem
repetidamente somos dois
na calmia que se espera depois.

deixa-me agarrar e entrar em ti
para que deixemos esta separação
dói-me muito viver assim
teres-me só às vezes, no coração.


11 de Janeiro 2008
Hugo Sousa

3 comentários:

Inês disse...

é sempre estranho fazermo-nos sentir,dize-lo.... nunca ha separação!!!
Genial, magnífico! LINDO! a maneira como vais buscar as palavras, como as usas da melhor maneira... não sei que mais dizer!!

Laura Lee Laura Lee..thargica pfff disse...

A long lonnnggg time ago o Fado era considerado uma profecia...aquilo que tem de acontecer talvez um pouco como a tragedia de edipo...traz sempre o desastre, magoa, enfatização e questão dos sentidos e o que eles criam...pois tão certo será o elo que é estabelecido entre a saudade, separação, amor...mas que raio é sempre dificil comentar sem divagar...
Por isso não sei...parece que tenho sempre argumentos para o que escreve...toma isto como um elogio!

psicotica disse...

Beijo*
O resto já sabes.