terça-feira, novembro 06, 2007

Vicio

vicio, vicio, vicio. pensar,
pensar em quê,
pensar não sei o quê nem porquê.
porquê? porquê? porquê o quê?
para quem?
para ninguém, ninguém.
sozinho, sempre sozinho.
sempre.
porquê? não sei, não sei o quê.
para quem?
ninguém.
sozinho, sempre sozinho.


05 Novembro 2007
Hugo Sousa

2 comentários:

Lethargic Laura disse...

Por vezes torna-se mais um sacrificio do que propriamente um vicio...somos demasiado auto destrutivos em cada pensamento, e sim pensamos apenas em nós para nós...um dia disses-te-me quando eu estava algures deprimida pela minha solidão que nós somos seres que acabamos sempre sozinhos, nascemos sozinhos, dormimos sozinhos, morremos sozinhos embora estejamos acompanhados...é verdade...isso doi...ultimamente embora depressivos sejam estes teus ultimos textos revejo-me neles, ando perdida por sentimentos semelhantes,olha....espero que seja um dos teus outros hugos, que tu sabes que te desejo bem melhor que isto...ja agora, para quando um novo livro?*

Anónimo disse...

Embora depressivos os poemas nao deixam de ser lindos!
sei que no fundo ha um hugo bem melhor que este..facto é que tens o dom da escrita,esse ng tu tira,facto é que tens algo especial em ti que apenas ainda nao descobriste..tens tudo para seres uma grande pessoa em que eu terei todo o orgulho em dizer "eu conheço-o" beijo