terça-feira, novembro 06, 2007

" ?! "

Ora, qual importância a minha? O que é realmente importante não se importa comigo. Qual importância a minha?

O amor que não salvaste, foi um amor que nunca amaste.


06 Novembro 2007
Hugo Sousa

6 comentários:

ana disse...

a tua importância é muita, o teu carácter, a tua presença a tua poesia

a tua importância é fundamental!

Hugo Sousa disse...

tal como digo, o que me importa recai mais sobre o "o que é realmente importante não se importa comigo", portanto...limito-me à importância do que é realmente importante. e já tenho o que é realmente importante ;)

ana disse...

sim é verdade!

continua a escrever assim

Anónimo disse...

Adorei todos os poemas,nao comentando cada um em particular mas sim no geral estou sem palavras e muito do que esta escrito vai do teu sentido de humor que eu sei..o teu livro infelizmente ainda nao o li mas quem sabe nao terei esse previlégio=) fica aqui uma admiraçao e pena ao mesmo tempo de muito disso nao ser o teu (tu) verdadeiro! beijo hugo*

Lethargic Laura disse...

Olá meu querido amigo, já vi que voltaste a escrever, de um certo modo fico bastante feliz, por outro um tanto ou quanto preocupada, de qualqer das maneiras, espero que este poema seja uma das tuas personagens, apesar de todos os dias nos sentir-mos um pouco assim...sem importancia, mesmo quando sabemos que temos coisas bastante valiosas...importantes...uma boa analogia, contudo analogias perturbadas, mas reais...gostei, beijo da tua amiga non logical*

antitese disse...

se o que é realmente importante nao se importa contigo, entao não é realmente importante porque nao se importa com a tua importancia que,no fundo, é importante..à escala de importancia da relatividade das outras importancias! sentiste?


saudaçoes da antitese *