quarta-feira, novembro 21, 2007

Não Sei, O Medo

não sei nada sobre a chuva
tocada pela vento no Inverno
que faz do mundo um inferno
e para estas feridas não tem cura

não sei nada sobre a presença
entre as horas de mais um dia
o explendor da agonia
só conheço a tua ausência

vivo num calafrio
nos olhos um vazio
com medo da despedida

na pele os teus vestígios
cheiro daqueles beijos
uma bandeira erguida


21 de Novembro 2007
Hugo Sousa

1 comentário:

Laura disse...

Eu sei, o medo.
O medo é a unica coisa que se sabe, mas não se sabe espeficar...o medo...o medo...