quarta-feira, novembro 21, 2007

Soldados

soldados do pensamento
espingardas carregadas
botas prateadas
preto nas fardas
e sangue em mãos
a apertar o coração

peles escuras
sujidades do tempo
são soldados do pensamento
e a minha vida num tormento

não aguento, invento
onde nos encontramos:
na prisão do tempo
com os soldados do pensamento


21 de Novembro 2007
Hugo Sousa

3 comentários:

antítese disse...

interessante a ideia dos poetas como soldados...com armas evidentemente..de uma natureza diferente.

alpinista disse...

adoro este

Laura disse...

Faz-me lembrar "o menino de sua mãe" de fernando pessoa, embora mais vago nos sentimentos e menos cpncreto na descrição fisica...gostei, os soldados são sempre um bom ele de coragem/terror odio/amor tristeza/saudade...