quarta-feira, novembro 21, 2007

Não És Minha

corpos aconchegados, chega a parecer que és minha. momentos que iludem e depois explodem por me fazerem pensar que és minha. não és minha, és de alguém. não és minha e eu morro. sou teu, sou só teu que não és minha. és de alguém.


21 de Novembro 2007
Hugo Sousa

5 comentários:

Luís disse...

quantos sao os momentos que nos iludem, quantos aqueles que deixamos, por todos aqueles que valeram a pena.
a sensacao estava la.

epa tenho o teclado em ingles e isto a acentos nao sei deles!
abraco!

Anónimo disse...

tens olhos que me conduzem
E um corpo que me mostra a morte
Teus lábios parecem que foram feitos para algo mais
Mas eles apenas sugam a minha respiração
Eu quero tua dor para saborear o porquê de estares envergonhado
E eu sei que tu não es apenas o que me dizes
E eu não sou o único momento do qual tu es feito

Eu quero que tu me queiras
Eu quero o que eu vejo nos teus
olhos
Então da-me algo para ficar assustada
Não algo para me satisfazer nem para ter pena!!

antítese disse...

ninguem é de ninguem! somos apenas empréstimos uns dos outros... estamos em dívida com todos e com ninguem..limitamo-nos a aproveitar a humildade de quem nos dá um pouco daquilo que nunca será nosso.

alpinista disse...

confuso

Laura disse...

Ligeiramente confuso, mas na eterna questão do ser)nao ser, querer e nao ter...