quarta-feira, maio 30, 2007

Doer É Quase Morrer

é preciso morrer para mais ser que pessoa. as cabanas dos sonhos, cercadas por água azul transparente, são dos sonhos. os sonhos são o caminho poeirento da morte. por chegar ao fim vou deixar de sentir. vou encerrar os olhos como se baixam os panos ao acabar o espectáculo. os bocados de carne separam-se do bocado maior de carne. o sangue é pouco e nem chega a ser suficiente para rastejar no chão. olhos abertos ou olhos fechados, tudo nubleado. nevoeiro cerrado para lá e para cá de mim. nevoeiro cego de olhos abertos e olhos fechados. logo agora que sentir já não sinto, fazia-me falta ver. ver só por ver, para não ficar petrificado entre as pedras de casa. ver só por ver sem sentir que já não sinto. e morrer. que falta faz morrer sem razão, já que não sinto. se não sinto é morrer sem razão. razão, sempre o objectivo de qualquer conversa com mais de uma palavra. até mesmo só com uma palavra. sim, não, sim são razões. de olhos abertos ou fechados são sempre razões, com nevoeiro ou sem ele. os dias acontecem com ou sem o meu nevoeiro de olhos abertos ou fechados. fechados! espaço fechado e apertado, a asfixiar os suspiros. o medo impresso no gatilho da pistola pronta a acabar com a vida. o medo na pistola. na vida. o medo e a pistola na vida. a vida no medo e quase na pistola. a vida no medo e o medo na vida da vida. suspiros apertados a asfixiar o espaço fechado. as mesmas coisas de maneiras diferentes. as mesmas gentes de maneiras diferentes. os corações iguais envolvidos nas diferenças. só me dói não doer mais para a vida no medo ser mais forte que o medo impresso no gatilho da pistola pronta a disparar. dois estrondos. comecei a ser mais que mais um.


30 Maio 2007
Hugo Sousa

6 comentários:

Laura...simplesmente Laura disse...

hey...mais um comentario meu, as vezes penso serei parva ou serei a mais atrevida dos 4000 visitantes que tens...começo dar-te razão!
Bem que texto...sabes falar sobre a morte até pode de facto ser um enigma mas se mostrar-mos de certa forma o que estamos a sentir, morrer é viver, sabes que preso a tua obra, esta é mais uma delas, o jogo de espetaculo, de carne, do medo...esta simplesmente estonteante, acho até que podias desenvolver mais...ate falaria mais mas as ideias mais aconchegante prefiro dar-tas directamente, por agora nada a apontar...e sabes que apontaria se estivesse algo do meu desagrado!beju**********

Hugo Sousa disse...

agradeço imenso os teus comentários, sabe bem às vezes ler coisas que nos dizem sobre o que escrevemos e dá-me uma certa raiva e irritação ver que mais ninguem comenta. é triste, mas é assim. chego a questionar-me se tenho amigos. tenho? conhecidos, tenho conhecidos? parece que ninguem me conhece nem nunca ninguem se cruzou mais que uma vez comigo. todos sabem que é bom ler-se uma palavra que seja mas nem por isso a dizem. obrigado Laura. * * *

antitese disse...

gostei do desencadeamento de ideias, chega a um ponto que se começa a pensar por essa logica..e entra-se numa situação de panico até, a repetiçao das palavras encaixa na perfeiçao..parece que te lembras de alternativas..numa situaçao de panico ou assim..por onde seguir? o que fazer? tento isto? tento outra via? não tento? morri.. ou ainda não? eu gostei... acho que é diferente dos que costumas escrever. Continua! *

Anónimo disse...

Eu não sei se é bom ler-se uma palavra vinda de mim, eu pessoalmente não gosto, prefiro manter-me em silêncio para não causar por ai nenhum “estrondo”.
Conhecidos? Conheço as tuas palavras é o suficiente para dizer que adoro, a ti não conheço mas que diferença faz? Vocês são dois em um mesmo* 

Filipa

psicotica disse...

"Death is not the greatest loss in life. The greatest loss is what dies inside us while we live."
(Norman Cousins)

Estranha pessoa esta disse...

Hugo Ondas,

Estou fascinada com a tua escrita... eu gosto muito de ler mas, tal como disseste um dia destes... o ppl tende a 'armar' o conceito de bonzinho como se de uma bandeira se tratasse...
Gosto da tua escrita
Gosto dos teus devaneis
Gosto da tua irritação profundamente consciente
Porra, GOSTO! :)

(Tem em atenção que não sou nada, mesmo nada dada a elogios ehhe)

Um abraço cheio de desassossego para ti, daqui da FF :P

Bjs **